Crowd O QUE? Crowdfunding…

Termos que vêem ganhando cada vez mais importância no País, Crowdfunding e Equity Crowdfunding crescem e trazem novas possibilidades para arrecadação de fundos, de uma forma inovadora e colaborativa.

Primeiro vamos estabelecer a diferença entre eles – isso é crucial para que você saiba qual caminho seguir caso opte por um dos dois modelos para você, afinal uma escolha errada pode ser um tiro no pé, vulgo o bafafá que tivemos com a Hamburgueria Zebeléo da Bel Pasque, Leonardo Young e Zé Soares, eles apenas superfaturaram coisas supérfluas e abriram uma campanha de financiamento coletivo, o que acarretou uma série de mídia espontânea negativa para os sócios e inclusive a campanha foi interrompida em virtude da confusão gerada.

Crowdfunding: também conhecido como vaquinha coletiva, financiamento coletivo, é uma forma ONLINE de arrecadar fundos para projetos de fato sairem do papel. Estes podem ser causas filantrópicas, na área da educação, cultural, projetos inovadores e por ai vai, aqui o céu é o limite, desde que as pessoas enxerguem o porque devem investir em você ou na sua empresa.

Neste modelo você oferece diversos tipos de cotas, as quais são estabelecidas pela própria empresa/pessoa podendo oferecer ou não alguma coisa em troca. Geralmente causas filantrópicas trabalham com doações, mas as demais como Games, por exemplo, oferecem benefícios para quem investe no projeto, e os valores variam de R$10,00 até milhares de reais. Eu particularmente acho muito interessante e sou fã do crowdfunding, mas saliento para as pessoas estruturarem muito bem a ideia antes de lançar uma campanha para não ser mal visto, porque já vi muitas pessoas que colocam cotas para lançar coisas que não tem propósito claro e a moeda de troca e acaba ficando sem sentido, mas gosto muito desse meio, que facilitou a arrecadação de verba para ONGs, projetos educacionais e culturais.

Vale ressaltar que as empresas de Crowdfunding retém uma porcentagem do valor recolhido, que gira de 9-17% dependendo do site.

É muito fácil de criar uma campanha online, e as plataformas são super fáceis de mexer, a que gosto mais – e diga-se de passagem é a mais famosa – é a Kickante, liderada pela Candice Pascoal, tem uma interface simples e projetos, em sua maioria, muito interessantes.

Mas você também encontra outras plataformas bacanas como:

  • Kickstarter: somente para criadores de campanhas nos EUA, Inglaterra, Canadá, Autrália, Nova Zelândia, Holanda, Irlanda, Dinamarca, Suécia e Noruega.
  • Indiegogo: você leva o dinheiro independente de bater a meta de arrecadação ou não, o que pode ser uma boa vantagem
  • Impulso: voltado para micro empreendedores. Você só leva o dinheiro se bater a meta
  • Idea.me: você só leva o dinheiro se bater a meta.
  • Bicharia: dedicado a causas animais. você só leva o dinheiro se bater a meta.
  • Catarse: você só leva o dinheiro se bater a meta
  • Benfeitoria: você só leva o dinheiro se bater a meta

Mas a grande pergunta que se deve fazer antes de lançar uma campanha é: eu tenho um propósito sólido para pedir um financiamento coletivo? Essas plataformas abrem portas que, se bem utilizadas, trazem grandes oportunidades.

Agora, para você que tem uma startup em crescimento ou uma pequena e média empresa e chegou naquele ponto “preciso de investimento”, uma saída muito interessantes é o Equity Crowdfunding, que consiste no financiamento de empresas em troca de participação acionária ou um título de dívida da mesma, ao contrário do Crowdfunding tradicional, em que a pessoa recebe brindes ou mesmo o produto como recompensa pelo capital aportado. O interessantes deste modelo é que ele também é aberto, para que pessoas físicas invistam no seu negócio, juntando o útil ao agradável, porque a empresa não precisa esperar necessariamente que um fundo de investimento injete dinheiro. Quando seu propósito é arrecadar fundos para a empresa crescer, este modelo pode ser ideal.

Nesse caso, a plataforma que mais gosto é a EqSeed, com uma interface também simples eles explicam direitinho como funciona, você cadastra sua empresa no site, no qual é feita uma avaliação para ver se estão aptos a participar da plataforma.

Eles vão em busca de divulgar vocês, quem é cadastrado como investidor recebe um e-mail explicando tudo sobre a empresa e qual o valor do investimento e % que você terá direito do negócio. Eles tem todo um network de fundos, investidores anjos e empresários bem sucedidos para ajudar a sua startup conseguir quem melhor convém para manter o crescimento. Além deles, você encontra outras plataformas que trabalham no mesmo modelo

  • StartMeUp: funciona nos mesmos moldes da EqSeed, e a empresa passa por uma avaliação antes de participar da plataforma
  • Broota: assim como seus demais concorrentes, a Broota tem o mesmo processo

Vale ressaltar que para participar de qualquer uma das plataformas acima, a captação pública de investimento apenas poderá ser realizada por empresas devidamente constituídas e legalmente enquadradas como ME ou EPP, já que uma pessoa física não pode captar investimentos via Equity Crowdfunding.

Essas plataformas tem ajudado muitas empresas a crescerem e prosperarem. Para você, que tem vontade de investir, também é muito legal, porque existem diversos tipos de investimentos que cabem em todos os tipos de budget e empresas de diversas áreas, assim você consegue optar por uma de um setor que se identifique e pode investir como pessoa física e montar uma carteira de investimento em startups. Para quem gosta, super aconselho o investimento, e o processo de todos eles é bem detalhado e seguro.

Se você tem uma ideia, uma empresa ou quer defender uma causa, tanto o Crowdfunding quanto o Equity Crowdfunding podem vir a ser alternativas que vão te ajudar a engrenar. Mas, antes, sempre tenha claro – afinal quem avisa, amigo é – qual o seu propósito? as pessoas vão enxergar valor agregado no que está pedindo? E assim você terá muito sucesso.

Quem quiser saber mais sobre os temas, fale com a gente. 😉

Beijos